Por Juliana Manhães

Manuel Castomo Mussundza é um artista que se move da cauda à cabeça! É um brincante da arte e da vida, que está sempre no movimento de se redescobrir, reescrevendo-se e ressignificando a sua própria história. E, assim, alimentando suas raízes de uma árvore frondosa, que perpassa muitos caminhos de lembranças e marcas que ficaram em seu corpo e que aqui se transformam em tessitura escrita. Neste livro, o dançarino escreve suas memórias refazendo trajetórias, abrindo portas, desde a infância na sua família às experiências corporais conectadas ao seu contexto africano, de nascença, em que o ritual se faz presença, até sua chegada em terras brasileiras. Percebe-se, como um estrangeiro e, assim, busca a si mesmo, revelando suas vivências e reflexões. Nessa leitura, estamos sendo convidados a uma viagem de experiências desse artista moçambicano que incomoda, se coloca, desafia e que une as linguagens artísticas, esgarçando suas fronteiras entre vida, arte, tradições e contemporaneidades. São histórias que iniciam em sua terra natal, Beira, e que, atualmente, se refazem e dão continuidade em terras recifenses. É uma escrita da escola da vida, sem obrigações e exigências acadêmicas, mas com respeito aos mestres autores e mestres da dança e da música, que preenchem, dando sustentáculos para sua árvore com raízes em África e seus galhos, folhas e frutos espalhados pelos caminhos que a vida tem proporcionado. Assim, desejo boa leitura e viagem e, como diz o escritor brasileiro Guimarães Rosa: “A vida vai, mas vem vindo”. Que esse livro seja não somente um fechamento de ciclo, mas início de novas jornadas!

Gule Wankulu: ancestralidades & memórias

R$ 40,00Preço